Vestígios

domingo, 5 de outubro de 2008

Inquieta

Sem motivo.
Livv se sentia inquieta, mas sem motivo.
Ou tinha? Não desejava saber.
O balanço das ondas era angustiante, em vez de ser acolhedor.
O olhar vazio, perdido na imensidão azul... do nada.
Nada!
O que estava acontecendo? Onde estava aquela animação toda,
que costumava corroer sua alma? Que desejava estar sempre a mil por hora?
Que fazia cabeças virarem, que buscava abraçar o mundo com uma única mão
e com a outra vasculhar 'intensamente' o seu interior?
Talvez fosse isso. O interior. O desconhecido. Estava encurralando-a.
Ou ela era quem era a intrusa?
Esse inquietude se intensificava. A cada instante. A cada lágrima talvez imaginária.
A teimosia persistia. Mas ela sabia ser muito mais teimosa.
Quem sabe um empate fosse algo interessante, não?

Não sei. Mas falta algo. E esse algo não responde. Angústia.
E permanece a inquietação rebelde 'sem causa'.
Sem rumo, sem volta e sem lei...

2 comentários:

Thinspo-Action disse...

"Há sempre algo de ausente que me atormenta..." (Camille Claudel)

Talvez a sabedoria consista em perceber que sempre falta alguma coisa... que somos seres faltantes e faltosos mas que, ainda assim, podemos ser plenos! E dá sim pra ganhar esse jogo!

Obrigada pela visita no blog!

Beijos

Nara

Tamires ________ disse...

Nara! Adorei sua visita por aqui...
Obrigada pela atenção!
Concordo plenamente com vc... apesar de achar que, às vezes, tudo vai desmoronar...