Vestígios

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Flutuos em cores opostas...

Flutuante...
Flutuo em emoções. E em distúrbios também.
Flutuo na presença. Mas principalmente na falta.
Flutuo em risos, medos e em desesperos.
Flutuo no canto, e no desencanto. Inevitavéis.
Flutuo em questionamentos. E silêncios.
Flutuo em perguntas. Traduzo respostas.
Flutuo na Lua. Despenco na Terra.
Flutuo em desejos. Em cores e descobertas.
Flutuo nos sonhos. Mas quero realidade cantada.
Flutuo em passado e futuro. Desejo o presente. Agora.
Sem mais...
Sem mais opostos. Nem extremos.
Parar de flutuar,
começar a pousar...

7 comentários:

Uma Vencedora disse...

Oie Tamires,

Você sabe que a minha vida tem sido parecida com o seu post?!

Se o que escreveu é um desabafo, eu te entendo perfeitamente... Eu vivo sempre a procurar algo em alguma coisa, e não encontro quase sempre a resposta, que me faz flutuar e ficar a mercê de resposta e suposições que não serão propriamente a real...

Bjs

Janaína

Glau Ribeiro disse...

Coisa linda minha,

Esse texto foi quase um espelho. Depois de todas nossas conversas, me sinto no direito de dividir sentimentos e misturá-los com os seus. Tão parecidos né, querida? Sintonia essa nossa, até para as situações desnecessárias (rs).

Você deixou as palavras molhadas de vontades compartilhadas e eu confesso que me molhei toda com elas. Bom dividir com você essa vontade de pousar um pouco, de não flutuar tanto.

"Flutuo no canto, e no desencanto. Inevitavéis."

Me arrepiei toda de te ler, Ta! E li de novo e de novo até que todas as palavras ficassem voando, em mim.

Lindo lindo lindo!

Beeeeeijo!

p.s.: Festa foi ótima. E amiga sua num quer mais tirar a fantasia não! rs.

monica disse...

Não é necessario pousar,apenas as vezes é preciso priorizar outras coisas que a vida exige uma atitude mais serena, porem sem levar tão a
serio e querer fixar-se a esse mundo, pois se não sonhar-mos, as coisas perdem a magia, e o viver torna-se racional e serio demais, impedindo que se desfrute das loucuras que faz da vida maravilhosa, apesar dos contratempos...bjos

Junkie careta disse...

Vim aqui só agradecer a sua imensa generosidade pelo comentário no Spleen rosa-chumbo, e descubro uma poetisa.Eu sou um esboçador de poemas em prosa,mas, você é que é a poetisa.

Parabéns e vc será sempre muito bem vinda no meu espaço

Grande abraço

Caroline disse...

Bem que seria melhor uma vida sem tanta gravidade, né?

Sim, sim! Flutuar!!
Flutuei.

Um beijo!

Jaya disse...

Tami,

Você sabe lidar tão linda com isso de versos. Me ensina um dia? Rs.

Hoje você falando de flutuar, e eu me imaginando. Porque eu nunca vi pessoa pra flutuar tanto igual a mim! E ao final, você fala dos desejos e anseios. Do presente. Do agora. Do pouso. Essa dose de chão, sabe? Isso me deixa de cabelo em pé. Fantasia-realidade me confundiu, agora.

Posso continuar flutuando? É o convite que ouvi aqui, das tuas palavras.

Beijos, moça.

Anônimo disse...

Boa tarde!!
Quero lhe parabenizar por tudo que escreve em seu blog. Gostei muito. sou amigo da Del (Nilzete) e ela fala muito bem de você!!

até mais!
junior