Vestígios

domingo, 30 de novembro de 2008

Eu, em 101 notas.


1. Me chamo Tamires, sem H, sem Y. E com isso veio o Tami, o Tá, o Tam e o Tatá. Com carinho, qualquer um me agrada. Com alegria, todos me arrancam sorrisos =D

2. Nasci perto do Natal. Sagitariana, mesmo. E com ascendente em Peixes. Só pra registrar. [Hoje já não mais leio horóscopo, mas é sempre bom constatar, rs]

3. Paulistana. Mas com o coração Potiguar, e alma Mineira.

4. Sou a primogênita, e a única mulher. É difícil. Ah, mas eu gosto dos mimos. Sim, adoooro um dengo. Vem cá, vem.

5. É. Tenho 1,80 de altura mesmo, e sem salto. E de vez em quando uso. Pra ficar nas alturas! [ih, nem tanto, ?]

6. Sim, já ouvi muitas piadas e já sofri muito com a minha altura. Agora? Satisfeitíssima com ela. Adoro ver a vida aqui do alto!

7. Professores já me tentaram de todas as formas para jogar vôlei, basquete. Mas nunca quis, além de ser um terror tentando jogar. Desistiram.

8. Quero fazer uma tatuagem. Pequena, mas quero. Só não sei onde. Muito menos quando. Mas vou fazer.

9. Do quê? Borboleta. Acho que já fui uma em outra vida. Vivo borboleteando. Em pensamentos, em palavras, em silêncios. Pelo nada. Pelo tudo.

10. Comecei a estudar com três anos. Sofri muito no inicio, não queria ir para o prezinho, queria era ficar em casa e chupando chupeta. Hoje vejo que foi a melhor coisa que poderia ter acontecido.

11. Aos seis anos, quando saí de lá, saí lendo e escrevendo. De tudo!

12. Sempre a melhor aluna [ou pelo menos me esforçava a ser], de verdade. Com uma das melhores notas. E até o final do Ensino Médio.

13. Na faculdade as coisas ‘complicaram’. Mas continuo tentando, e acho que está dando certo, rs

14. Felicidade imensa quando recebi uma bolsa de estudos integral para a faculdade, para o curso que eu queria. É um sonho. Nem tem como descrever.


15. Odeio matemática. Dá até calafrios. Os números parecem teimar comigo. Pois é. Então prefiro Português.

16. Não sei andar de bicicleta [vergonha]. Tenho vontade, mas parece que ela não quer me aceitar em cima dela, poxa!

17. Nem nadar. Mas eu tento, quem sabe um dia eu consigo.

18. Meu primeiro beijo foi aos 15 anos. Em situação estranha, e inesperada, rs. Mas não menos maravilhoso. Valeu a pena esperar.

19. Tenho alma de menina, e não quero perder isso. Sabe moleca travessa? EU. “Brinque de ser sério e leve a sério a brincadeira” – Rita Lee

20. Mas também sei falar sério. E ah, como sei!

21. Chocólatra. Assumidissíma! E nem ligo pro papo das espinhas.

22. Adoro ler! Da Bíblia ao Código da Vinci; de Machado de Assis aos Romances de Banca de Jornal; De HQs a Revistas Cientificas. TUDO.

23. Não tirei minha Carteira de Habilitação, ainda. Mas também não tenho carro. Então pronto!

24. Chata, mais ‘sempre’ do que ‘quase’. Ah, mas sou legal também, rs. [É o que dizem por aí] .

25. Ecléctica. Gosto de tudo quanto é música, desde que não caia o nível. Se me faz bem, aumento o som. Caso contrário, desligo.

26. Não sou baladeira. Prefiro barzinhos, parques, cinemas, teatros, museus, exposições...

27. Mas uma agitação de vez em quando faz bem: Barulho, risada alta... sou assim, inconstante. Mas eu gosto.

28. No entanto, sou muito mais caseira.

29. Prazer, TEIMOSIA em pessoa. Nem adianta falar o contrário. Eu teimo!

30. Amo minha profissão e não me arrependi até o momento. Não sei amanhã.

31. Ah, estou me formando em Pedagogia. E eu adooro! Nem sou louca, como muitos me perguntam, e quando perguntam, me irrita de tal maneira, que prefiro nem discutir. É sério.

32. Ah, mentira! Discuto sim! E quem se atreve sai perdendo..., rs. Coisa de unha e dentes, sabe? Defendo o que faço.

33. Crianças? Sim, adoro. Mas não foi por isso. Se assim o fosse, poderia escolher ser babá, não é? Ou uma palhacinha de animação em festas infantis. Gosto de ensinar.

34. Paciência? Pouca, rs. Mas continuo tentando.

35. Romântica. Por demais, e nem tenho vergonha. E gosto de ser assim.

36. Ah, sou tímida. Não tomo iniciativa. Para me conquistar, saiba ousar. Mas seja você de verdade. Estereótipos pré-definidos não me atraem. Nem um pouco.

37. O namoro mais longo que tive durou seis meses. E foi o único namoro mesmo. [ e que diga-se de passagem, foi escondido]

38. Não gosto de ‘ficar por ficar’. Não curto. Nem de namorar só pra falar: ‘Olha, estou namorando’.

39. Não gosto de falar para o público ‘grande’. Mas se for o jeito, falo. Mais aplausos do que vaias, rs. E nem gaguejo!

40. Cresci cantando e pulando Xuxa! E assistindo Lua de Cristal um montão de vezes. O moço da locadora já sabia, e reservava. Meus pais até mandavam ele falar que já estava locado, mas não adiantava. Eu descobria e fazia bico. E no fim, levava. Pela milésima vez, rs

41. Me irrito com futilidade, falsidade, ofensas e ganância. E todo o resto da família.

42. Não tomo bebida alcoólica. Houve ocasiões, mas me arrependi. Não mais.

43. Amo dançar! Não sei, mas gosto. E isso é o que importa. Comecei a fazer umas aulas, mas o tempo diminuiu ( Aff, com o fim do semestre na faculdade, onde eu queria arranjar tempo?), então parei. Mas vou continuar. E pronto!

44. Já vivi um amor virtual. Amor mesmo, desses de vc sair rodopiando por aí, esperando palavras, que valiam muito. E foi maravilhoso enquanto vivi. E também não me arrependo, sabe? Mesmo após o ‘sumiço’, mesmo após saber que foi apenas um sonho de noites de inverno.

45. Meu mal é esse. Palavras bem desenhadas me deixam totalmente ‘desarmada’ [, Glau?]. Tem que saber conversar. Ele sabia. E isso me conquistou. Muito.

46. Ah, mas aprendi também que palavras enganam. E hoje eu tenho que olhar, e mais que tudo, sentir, pra seguir em frente. Pra ter certeza. O virtual não me engana mais.

47. Gosto de ficar olhando pro nada pra ficar pensando em tudo.

48. Ah, me derreto toda por uma boa massagem. Se for nós pés então, pronto! Me ganhou de vez.

49. Pra roupas, amo a cor preta e a verde. E não sou palmeirense.

50. E só pra registrar: Sou corinthiana, não roxa, mas sou.

51. E só assisto a um jogo de futebol ‘mesmo’ na Copa do Mundo.

52. Adoro Coca-Cola!

53. Tenho pavor daquelas pessoas que, quando chega um idoso (ou qualquer um que precise mais), no ônibus, e não há lugares vazios, fingem que estão dormindo. Não importa a condição física, temos que fazer porque é o certo, porque o coração pede, e não apenas porque a plaqueta manda.

54. Gosto de dormir no sofá, ou melhor de me fazer adormecer nele. Tão bom. Mesmo que no outro dia meu pescoço esteja em pé de guerra com o resto do corpo.

55. Sempre leio algo antes de dormir, sempre. Mesmo se já tiver lido, releio.

56. Adoro ir em parques de diversões. E os brinquedos mais perigosos, mais altos, são os meus favoritos.

57. Sonho em andar de asa-delta, pular pára-quedas e saltar de bung-jump. Só isso. E vou, hein?

58. Tenho a madrugada como companhia. Amo a noite.

59. Gosto do frio, de ficar enroladinha no sofá, com um edredom bem quentinho por cima. Com um bom filme pra acompanhar.

60. Mas acho que prefiro o verão. A animação das pessoas, os sorrisos, o Sol [mas não tão quente assim], as praias... A leveza de se viver.

61. Tenho os melhores amigos que alguém poderia ter. Tanto real, quanto virtualmente.

62. Sou pontual, e fico nervosa com atrasos sem motivos realmente convincentes.

63. Adoro desenhar, mesmo. Arrisco uns rostos, umas paisagens, qualquer coisa que eu tenha vontade.

64. Já vendi dois. E, modéstia a parte, ficaram muito bons.

65. Já fui operadora de telemarketing, por quase um ano. Foi horrível. Porém foi uma oportunidade, uma experiência da qual necessitava.

66. Mas tenho que agradecer os amigos que fiz por lá. São maravilhosos.

67. 2008. Este tem sido o ano mais intenso de minha vida.

68. Tenho verdadeira paixão por Natal/RN, a noiva do sol.

69. Não atraso, mas deixo sempre as coisas pra cima da hora. Se tenho uma semana fazer um trabalho, só o faço no último dia. Me descabelo, mas entrego.

70. Mario Bros no SuperNintendo. Sempre gostei! E também porque era o que mais sabia ganhar do meu irmão. E ganhava!

71. Ah, falando nisso tenho dois irmãos, mais novos. Um de 13 anos [mais alto que eu, rs] e outro de 7 aninhos. Brigamos um tantão, mas nos amamos outro monte. Demais.

72. Meus avós paternos moram aqui, pertinho de mim. E agradeço sempre por isso.

73. Meus avós maternos moram longe, em Natal. E faz cinco anos que não os vejo. Saudades tão grandes que chega a doer.

74. E ainda tenho duas bisavós. Tão lindas e meigas que dá vontade de ter aqui, sempre comigo. E as tenho, mas no coração. E conheci um bisavô, meu querido, que hoje não se encontra mais em vida, mas tenho certeza que está em paz.

75. Meu pai é filho único, e é muito ressentido por isso. Minha família é pequena, pois minha mãe também não tem muitos irmãos. O que resulta em poucos tios, poucos primos. Poucos entes. Mas não menos queridos.

76. Mas aqui o que importa é a qualidade, e nisso, somos nota 10 em alegria.

77. Mas quero ter uma família grande no futuro. Sabe aquelas mesas imensas e cheias de gente na hora do almoço? Uma tagarelice só? É isso que eu quero pra mim, futuramente.

78. Tenho medo da solidão. De não ter ninguém mais pra me abraçar.

79. Mas, de vez em quando, gosto de ficar só em casa. Do silêncio.

80. Sou tão chorona. E choro mesmo, nem tenho vergonha. Não importa o lugar, ou a hora, ou o momento, ou em frente de quem. Não escondo, deixo escorrer as lágrimas. Deixo borrar a maquiagem.

81. Falando em maquiagem, sou vaidosa. Mas sem excessos.

82. Sempre achei que os meus olhos e o meu sorriso, dizem muito sobre mim. E é verdade.

83. Não sou boa na cozinha, mas me viro, como dizem por aí. As sobremesas são as que saem melhor, principalmente as doces.

84. E, quando faço, tem que ter uma música ao fundo. Pra agitar.

85. Ah, sou tão curiosa quanto poderia ser. Tudo o que me chama a atenção, eu vou atrás. E, em muitas vezes, consigo.

86. Eu tenho muita fé na vida. Em tudo, em todos, e em mim.

87. Não suporto pessoas pessimistas. O meu astral sempre é lá em cima. E sempre vejo o lado bom das coisas. Otimismo puro. Sofro com a Síndrome de Pollyana.

88. Mas tenho meus momentos introspectivos também, como todo mundo.

89. Tenho certa dificuldade em demonstrar meus sentimentos. Sou insegura, às vezes. E isso me irrita.

90. Sabe aquela professora que vc não sabe se é mais criança que os alunos? Que cai no chão com eles, que gosta de rir, de brincar com a prosa deles? Pois é. Sou eu. E não quero mudar. E tem dado certo.

91. Não falo palavrões. Não mesmo. E não é puritanismo, não. É que eu não gosto mesmo, e também porque já fui criada assim, não consigo. Nem pra extravasar.

92. Quando era mais nova, amava filmes de terror. Jason e Fred eram meus prediletos. Hoje não. O romantismo aflora de tal maneira, que A-D-O-R-O um bom ‘água com açúcar’. Entre os meus preferidos: Antes que termine o dia e Um amor pra recordar.

93. Já fiquei presa no elevador por 20 minutos. Parece pouco, mas estava com cerca de 16 pessoas dentro, onde a capacidade era apenas de 10. Fiquei em pânico.

94. Quando mais nova, era fã incondicional de Sandy e Júnior. Tinha pastas e mais pastas com fotos e tudo o mais. CD’s e vídeos. TUDO. Foi uma época boa, mas passou. Hoje, somente uma música ou outra deles que eu escuto. [Abri os olhos, que já postei aqui no blog, é uma delas, e é linda].

95. Nunca desejei ter outra nacionalidade. Amo o Brasil, amo minha terra. Tenho certeza que somos as pessoas mais acolhedoras e de coração mais aberto que existe. E que bom ser assim.

96. Não tenho domínio sobre nenhuma outra língua [mas é algo que tenho que resolver]. E me encanto ao ouvir a língua espanhola.

97. Tenho um carinho imenso por todos que se dão ao trabalho de me ler por aqui, nos Pés descalços. Porta aberta, sempre. De verdade mesmo. Vocês são meu termômetro de qualidade.

98. Falando em pés descalços, amo andar descalça. Me sinto livre. Eis o porque do nome do blog, rs. Liberdade.

99. E odeio me sentir presa. Sou uma borboleta, gosto de voar. De sentir o mundo na sua plenitude. Mesmo que isso se faça quase impossível. Mas eu quero, eu tento.

100. Me considero feliz, por tudo que conquistei e por tudo que ainda vou conquitar, junto aos meus.

101. E acabou. E eu sinto que tenho muito mais coisas pra escrever. Mas, foi tão bom esse desabafo [sim, porque foi um] . Fez sentir-me mais leve. Mais EU. E isso depois de ter visto o Glau e o Jaya, queridas como são. E agradeço a todos que chegaram até aqui.


Tamires, simples assim.

Beijos .



13 comentários:

Átila Siqueira. disse...

Adorei saber mais sobre ti, querida. Muito bom saber coisas sobre uma pessoa que é tão especial para mim.

Vi que temos muitas coisas em comum, e gostei de saber disso.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Priscila Boltão disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Glau Ribeiro disse...

AMOOOOOR MEU!

E lá vamos nós que eu to adorando isso aqui!

3 - Com certeza tem!
5 - Nem sou grande. =/ mas me divirto com a falta de alguns centímetros. hohoho
9 - Eu tenho três! No pé! C vai ver!
15 - Ah! Qual o problema com os números? Amo tanto eles! =)
19 - E viva a Rita Lee
21 - Viva!
22 - Também!
23 - Eu dirijo! Vem de carona?
27 - Sou assim demais. As vezes preciso de barulho, mas sem muvuca e luzes por todo lado [é que fico tonta!]
29 - Sou taurina, dizem que maior característica.
36 - Siiiiiiiim!
45 - E conquistam mesmo né, Fofura? O que as palavras não fazem aos nossos corações. Então, cuidado com elas! rs. [Eu quero as minhas de volta!]
52 - Iupi! Toma uma comigo no bar ali da esquina?
53 - Duas! fico brava com coisas do tipo
54 - O sofá da minha casa é muito duro! =/
56 - Bora pro playcenter?
60 - Prefiro inverno.
62 - Yes!
63 - Nem desenho infantil eu arrisco.
70 - E viva o Mario!
72 e 73 e 74 - Me empresta um cadim? Só pra matar saudades?!
80 - Também!
90 - Adooooro!
91 - Eu falo! E as vezes, demais! =/ [Coisa feia né, amiga?]
92 - " Antes que termine o dia e Um amor pra recordar." - A-M-O!
94 - Eu, Backstreet Boys!
101 - Jááaáááááááaááá acabou????

Aaaaaaaaaaah Lindeza! Foi bom demais te ler viu! Rola meeesmo um desabafo né? A gente se sente até mais leve. E foi bom dividir com você esse tantão de coisa. =)

Adorei um taaaaaaaanto!

Amo demais!

Beeeijo assim:
=**********************

Átila Siqueira. disse...

Oi amiga querida, coloquei lá no meu blog as 101 coisas sobre mim também, passa lá para ver, tá?

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Glau Ribeiro disse...

Ficou lindo, Amooor meu!

p.s.: faltam 4 dias!

Priscila Boltão disse...

Ufa, terminei.
Se isso te faz se sentir menos envergonhada, tb não aprendi até hoje a andar de bicicleta (tentei, mas cai na ladeira e em cima do arame farpado... a bicicleta não me queria e eu não queria a bicicleta....)
Sure, tb já fui fã de Sandy & Junior. Fã doida, mesmo. Ainda gosto de umas músicas deles, admito.
Ih, várias coisas parecidas.
Exceto pelo otimismo. É meio (muito, na verdade) difícil pra mim. Mas é difícil lembrar de ser pessimista com os bons amigos que ainda tenho.

Pq vc excluiu meu comentário? ¬¬°

Jaya disse...

Tami, você fez. Ah, que fofa! Li tudinho. Quis te dar um abraço, ao final. (: Vamos aos comentários, néam?

1. Seu nome é lindo. Já pensei em ter uma filha e chamá-la de Tamires. Hoje não penso mais, mais ainda amo. Rs.

2. Ascendente em peixes? Sou pisciana, acredito que nos daríamos bem.

4. Primogênitos comandam, caran! Haha.

5. Meu, você é moça mais alta que eu conheço. Uhuuuu!

10. Comecei na mesma idade. Rs.

15. Acho a matemática a maior sacanagem da face da terra.

16. Se eu tivesse aí, te ensinava.

29. A gente ia sair nos tapas, então. Haha. Sou geralmente assim.

40. Eu era igualzinha, Tami. Meu pai nem acreditava. Só que o filme em questão era o “Super Xuxa Contra o Baixo-Astral”. Kkkkkk.

47. Faço isso sem nem perceber.

50. Aê! \õ/

77. Minha família é assim. E a materna é maior ainda. Amo.

82. Sim. Sim.

87. Ah, bêibe. Às vezes a gente desmonta. Todo mundo desmonta. Até Pollyana.

91. Eu, por vezes, falo bagarái! Haha.

92. “Um amor pra recordar” é um dos piores filmes que já assisti.

93. Eu entraria em crise.

96. Mando bem no inglês. E o espanhol eu não suporto.

97. Te ler é doce, Tami.

98. Se eu pudesse, saia descalça. Sério mesmo.

Bom foi ler teus pedacinhos. Poucos, mas que deu pra aproximar bastante. Desfiar semelhanças e diferenças. Gostei.

Beijocas.

Anônimo disse...

Oi, Tam.
Em primeiro lugar queria te parabenizar pela sua coragem e por ter aberto os olhos da Pri.
vc e ela, assim como TANTAS outras, não mereciam ter sofrido por um canalha.
Te adimiro mto e sempre leio seu blog.
Seja muito feliz, assim como existe pessoas ruins, existem tb pessoas boas, como vc.
E sempre é bom dizer: melhor solteira e feliz do que corna.

Trilhões de bjos!

Tamires ________ disse...

Anônimo!
Obrigada pelas doces palavras, e por vir aqui. Ia postar no blog da Pri, mas achei melhor por aqui mesmo. Sei que não merecemos sofrer, e faço o possível para Não. Não se foi uma ajuda, mas foi algo de coração. E fico feliz, mesmo, que tenha somado algo de positivo. O amargo da desilusão uma hora vai embora. TOTALMENTE.

Sejamos felizes, então. Todos merecemos a felicidade gratuita.

Gostei muito de te ter por aqui. Apareça sempre, ok?


Beijos infinitos, rs.

meus instantes e momentos disse...

Foi bom conhecer vc mais um pouquinho...
Voce é transparente não se esconde, muito bom.

D.Ramírez disse...

Seu nome parece meu sobrenome, ate ai td bem, mas me fez lembrar uma ocasiao que eu estava fotografando em uma cidade do interior, se nao me falha a memória São Carlos, e havia uma garotinha, devia ter seus 9 anos. Conversando com ela, perguntei o nome dela, ela me disse chamar Tamires..eu contente pelo nome e empolgado falei: Nossa, me chamo Ramírez.
Pronto, ela fechou a cara e começou a chorar alto, indo em direção a seus pais ela falou brava com soluços: Vocês colocaram meu nome de HOMEM!! BUÀÀÀÀÀÀÀ
Nunca mais me esqueço..rs
Besos

Tempestade disse...

Lindo blog!
Parabéns!
Beijo!

Jorjão disse...

como falei pra vc hj, é realmente cada vez mais dificil não gostar desse seu jeito...
Bjao
Jorge