Vestígios

sábado, 8 de novembro de 2008

Chuvas

.
.
.
Está sentindo? É a chuva caindo sobre nós.
Lavando nossas almas.
Deixando apenas os sonhos.
Os sonhos compartilhados, vividos em noites insones.
Mas... não dá vontade de sair dançando?
Páre um instante. Feche seus olhos.

A música está aí. Invisível.
Melodiando nossos sentidos.
Trazendo sensação gostosa, boa. Colorida.
Quero o verso mais bonito, e de ti, o mais sensível.

Venha junto. Solte-se. Siga o ritmo, dance comigo.
Vou sentir, em um instante, toda a magia de sermos um só.

De cantarmos as mesmas notas e ouvirmos o mesmo tom.
De nos fazermos presente. Traduzindo o futuro.
O passado? A chuva apagou. E levou com ela a escuridão.
Raios que surgem no horizonte, despencam sobre nós.
O dia esta amanhecendo.
.
.
Sinta. Veja, e acima de tudo, presencie.
O milagre que a vida impôs. Eu e você, aqui. Se fazendo eterno.

As gotas se foram. O momento vai permancer. Sereno.
Após a chuva, tudo aquece. Se esquece. Se torna...
E assim, se fazem constantes, as lágrimas confundidas como pingos.
Molhados. Aflorando. Buscando.
Mas, continue dançando.
A chuva continua no amanhã.
.
.
.
Nos passos da vida.
Nas emoções vividas.
No interior.
No meu.
No teu.
No nosso... !

"...Eu quero uma lua plena
Eu quero sentir a noite
Eu quero olhar as luzes,
Que teus olhos não me têm deixado ver
Agora eu vou viver
Eu quero sair de manhã
Eu quero seguir a estrela
Eu quero sentir o vento
Pela pele um pensamento me fará
Uma louca tempestade
Eu quero ser uma tarde gris
Quero que a chuva corra sobre o rio
O rio que por ruas corre em mim
As águas que me querem levar tão longe..."
(Ana Carolina - Louca Tempestade)
.

16 comentários:

Filipe Garcia disse...

Oi Tamires,

sim, estou sentindo essa chuva, lavando as almas. Por sinal, aqui faz um calor infernal, mas nada como uma boa metáfora, rs.

E que brindemos o amor. Causa dos poetas.

Beijo.

Jaya disse...

Tami, Tami, Tami,

Hoje eu tô feliz. Legal. Etc. E um monte de reticências.

Primeiro: xô falaaaaaaaaaaar! Rs. Tão fofa a cara nova daqui! Eu SABIA que tinha dedo de Glau, no meio. Haha. Tá lindo, viu? Um visual "clean" é tudibão.

Sobre os versos? Amei! Quando você diz:

"Os sonhos compartilhados, vividos em noites insones."

Eu fiquei lembrando do meu "Cinema Mudo", e de um sonho que acompanha minhas eternas insônias de um jeito bonito. E lembrei de um certo poeta, que contou de uma chuva certinha. E eu fui gostando ainda mais das tuas palavras por ter feito essas conexões todas.

Hoje, depois de te ler, eu quis que chovesse, aqui. Mas até a lua parece sol, nas bandas de cá. Rs.

Ai, ai...

Uns beijos nocê, doçura de gente.

Caroline disse...

ai, ai, tanta coisa se leva nos passos da vida...

tanta coisa se perde.

amei.

um beijo!

Átila Siqueira. disse...

Oi Tamires, lindo os seus versos. Estou começando a achar que tu és uma poetisa de mão cheia, e que tem muito talento ai nesse seu modo de escrever.

Amei ver-te falar da chuva. Eu amo chuva, e seus versos me lembraram a parte daquele filme, dançando na chuva, em que o ator, sai dançando feliz. Acho aquela cena um primor.

Mas eu achei seu poema tão doce, e ao mesmo tempo profundo. Fala das coisas grandes, que são na verdade as pequenas coisas da vida, aquelas que são realmente importante.

Adorei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Meus parabéns pelo seu talento.

Quero te agradecer pelo comentário lá no meu blog, gostei muito, e quero que voltes sempre. E quero também dizer que sou eu é que fiquei feliz em ter participado do novo designer de seu blog. Fico muito honrado com isso, e eu te agradeço por ter me deixado participar.

Quero aproveitar a oportunidade e te convidar para visitar a postagem de lançamento do meu livro, Vale dos Elfos, que acabou de ser lançado. Será uma honra recebê-la lá.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Srta. Festa disse...

Voltei!!! E olha só, voltei em um dia de chuva. Aqui na minha cidade tá chovendo e eu não podia estar mais feliz. Sou muito fã do filme "Dançando na Chuva" e tô me segurando pra não sair lá pra fora imitar o Gene Kelly.

Desculpa o sumiço moça, mas o meu tempo não tava dando brecha e quando eu sentava em frente ao computador parecia um Javali lobotizado.

Mas agora eu voltei e...não vai dar vou ter ali fora um pouquinho...Bjos ^^

Thinspo-Action disse...

Lindos versos...
Sensibilidade a flor da pele...

Parabéns!

Beijos

P.

Glau Ribeiro disse...

Xuxuzinhooooo meeeeu,

Que trem mais bonito você desenhou ai. Nem tem como comentários não serem pessoais, porque palavras suas se misturam as minhas e a gente vive tudo junto sempre né? Riqueza colorida do meu jardim, você é!

E hoje, aqui, tá chovendo certinho (como Jaya lembrou bonito), e mesmo se não estivesse eu poderia sentir a chuva sim, Tami! Todas as chuvas desses nossos dias e todo os suspiros que elas tem provocado. E é tão bonito ver ela caindo, e ver você sorrindo com ela, e ver você desabroxar (assim te vejo).

Desejo meu é que a dança nem acabe, que os pés nunca se cansem e que o amanhecer chegue com mais cores pro seu jardim, fofura!

Porque eu leio suas entrelinhas e porque eu acredito que essa chuva veio pra lavar e levar com ela o passado todo. =)

Beeeeijo assim óóó:

=*******

um tanto!

Glau Ribeiro disse...

E óóóó!

A gente ainda tem que fazer uns ajustes...! rs

Beeeijo!

meus instantes e momentos disse...

que esse milagre continue sempre a te trazer as emoções que anseias.
Felicidades.
obrigado pela visita e comentário.

Glau Ribeiro disse...

Ai Deus, eu tenho créditos pelo layout e link de presente?!?!?

Fiquei boba, boba do lado de cá!

Crédito é seu, fofura!

E presente é com todo amor do mundo!

=)

Tive que passar pra ver que liiiiindooo!

Amo!

Átila Siqueira. disse...

Oi Tamires, fiquei muito feliz com as palavras tão carinhosas que tu disseste lá no meu cantinho. Sua presença já me foi um grande presente, mas suas palavras adocicaram esse presente e o fizeram ainda mais belo.

Eu fico lisonjeado com o fato de tu me teres em tão alto apreço com relação a minha escrita. Agradeço de coração o seu carinho comigo, de verdade.

E nem sei o que te dizer para te agradecer, tamanha emoção fiquei quando li sua mensagem.

Obrigado, de coração.

Depois me procura no orkut, se você tiver, e me add como amigo. Eu vou montar uma comunidade do meu livro, e te convido a fazer parte.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Átila Siqueira. disse...

Oi Tamires, tem um Meme para ti lá no meu blog, tá?

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Glau Ribeiro disse...

Saudaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaade!

Uma Vencedora disse...

Oie querida Tamires,

Como nos parecemos e poetizamos de forma parecido...

O que tú escrevestes aqui, é o que o meu coração implora em dizer ao meu amado...

Vontade de sair, tomar chuva, namorar, dançar e nos amar...

Bjs

Janaína

Átila Siqueira. disse...

Oi querida, obrigado pela visita carinhosa no meu cantinho, tá. Adorei, volte sempre.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

D.Ramírez disse...

A chuva..chuva é tudo de bom, cheirinho de mato, cheirinho de mar, abraços..chuva chuva..a dormir na chuva...tudo de bom mesmo, e essa poesia linda.
Adorei.
Besitos